Ribeirão Preto, 23 de Agosto de 2019.

Claro e ESPN trazem finais do Australian Open para todas as telas

* Clientes da NET e da Claro assistem as finais do Australian Open em todas as telas, inclusive no celular, sem gastar a internet do plano móvel. * Transmissão da ESPN será disponibilizada ao vivo, através do canal 571 da NET ou da Claro TV, do app do NOW e também do site da operadora.

Claro e ESPN trazem finais do Australian Open para todas as telas

As finais do Australian Open, um dos principais torneios do circuito mundial de tênis, já estão aí. E, neste ano, quem combina NET e Claro tem vantagens na hora de assistir os jogos exclusivos no canal ESPN (571) na TV e pelo app do NOW, no smartphone, tablet ou computador.

Em parceria com a ESPN, os clientes da NET e da Claro terão sinal aberto no aplicativo NOW para acompanhar as partidas do Australian Open que abre o calendário de grand slams em 2019. O sinal aberto da ESPN permitirá ainda que clientes de TV que não possuem ainda o canal na sua programação acompanhem o evento.

Outra novidade é que os clientes pós-pago da Claro poderão assistir ao vivo pelo celular, de forma ilimitada e sem descontar a internet do plano móvel. Esta vantagem exclusiva estará disponível apenas durante todo o final de semana, período que acontecem as partidas.

Na prática, esses clientes terão seu smartphone transformado em uma TV de bolso, levando a cobertura completa pra onde quiser, sem se preocupar com a conta do celular. É mais uma vantagem do Claro Verão 4.5G que a operadora oferece a seus clientes.

O app do NOW é compatível com dispositivos móveis com sistema iOS ou Android. Para acessar o canal ESPN ao vivo ou qualquer outro conteúdo da plataforma, o cliente deve utilizar o mesmo login e senha da Minha NET ou Minha Claro. Caso ainda não tenha esse cadastro, é possível fazê-lo na hora e no próprio aplicativo usando os dados do titular da assinatura.

_______________________________________________

Fonte: In Press Porter Novelli

Imagem ilustrativa: internet

Postado em 27.01.2019



Mais notícias: